lunes, septiembre 30, 2013

marulho

é um marulho danado, que grudou na minha orelha, e de lá não quer sair mais.
que eu explico, é que morei muitos anos no mar das andorinha, de ofício de pescador, de onde nasceu meus três filho que foram ficar lá, com a tia.
de onde minha esposa entrou no mar, se afogou, e virou sereia.
de onde eu nunca saí.
vim pra cá pra tentar outra, outra sorte, o senhor entende?
mas não me acostumo, não me acostumo com esse barulho de obra, esse barulho de buzina, essa gente que fala tanto.
é um marulho danado, que grudou na minha orelha, e de lá não quer sair mais.
que eu explico,
deve de ser saudade.