martes, agosto 02, 2011

pequenas observações

ele leu Cortázar a noite inteira e decidiu que deveria escrever alguma coisa, alguma coisa sobre um homem tomando um café ou trocando um pneu. alguma coisa sobre um sorriso, sobre um ônibus que sempre chega e sobre bicicletas cortando o trânsito, cortando o tempo, cortando o espaço, coração ardendo no peito, como deve ser, pra se sentir vivo, pra se sentir mais vivo. (fumar olhando a chuva pela janela, nessa madrugada que não deveria acabar).



acho que deveria ter um gato e eu que nunca gostei de animais, mas eu que nunca gostei de tanta coisa mesmo que agora gosto e nem sei mais. sei que não gosto do barulho da obra e não gosto do que vai virar aqui do lado. sei que gosto de reclamar e gosto desse barulho de pingos, desse cheiro, que grudou nas narinas, que espalhou em todo corpo.



sim, e tudo trava no meio do sonho, mas não importa. não importa que só seja real na minha mente, porque nada nunca foi tão real.
é tão real a lembrança quanto o que a gera.





e tudo já é passado.

1 comentario:

Ana Luiza dijo...

e tudo já é futuro, OLHA!