martes, octubre 21, 2008

poema sobre impulsos e paixões urbanas

ele caminhava pela rua, rua cinza, dia de inverno, inverno porto-alegrense, soltando fumaça pela boca, mão no bolso.
se escorou em um poste, na frente de um apartamento térreo, acendeu um cigarro, olhou pra dentro da janela.
ela dançava, de calcinha, na janela.
ela e a irmã, e a mãe, mas só ela de calcinha.
ele fumava e olhava, e quando alguma delas olhava pra ele, desviava o rosto.
mas elas sabiam que ele a observava e ele sabia que elas sabiam, mas ficavam nesse jogo, por questão de educação.
até que ele entrou pela janela, não falou nada e a beijou.
a partir desse dia começaram a namorar, mas tudo durou um dia só, porque ela já tinha um namorado e esse namorado não podia saber que ela tinha arranjado outro, que ela havia gostado muito dele muito dele mesmo, mas que ele tinha que convir que era meio estranho assim entrar janela adentro sem dizer nada ela precisava pelo menos de uns dias pra pensar.
ele não tinha tempo, não tinha uns dias pra dar pra ela pensar, gritou, a acusou de ter estragado a vida dele, disse que nunca tinha amado ninguém assim.
e ela sem entender nada começou a chorar e então ele começou a chorar também.
daí a mãe e a irmã da menina pediram pra ele ir saindo, fora uma tarde muito agradável, elas tinham que admitir, mas agora acabou acabou acabou ta ficando tarde daqui a pouco chega o outro e aí ninguém sabe o que vai acontecer.
que ele volte a caminhar.
pelas ruas.
sozinho.

9 comentarios:

giz dijo...

foda. foda. muito foda. um dos meu favoritos. top 5. não, 3.

porra, eu amei esse :~

Anónimo dijo...

e tu não te esquecestes de mim e do meu blog podre..jubsinthesky sem ter nada oq falar haha, que amor :)
saudades tuas meu caro, to com um msn diferente faz um tempo: juliabeka@hotmail.com, se quiseres add ;D
;* e passar bem.

Anin's House dijo...

gostei muito, impulsividade muitas vezes é considerada um defeito, mas se existe é porque tem alguma serventia boa.

Dona Doida dijo...

gustavo. gosto do ritmo da tua escrita: despreocupado com as regras e com o tempo... te descobri no portal literal. vamos trocando impressões.

um abraço literário.

Gabriella Mendes dijo...

Onde eu encontro o poema em linha reta recitado que você falou? :)

Eu gosto desse teu comprometimento de descompromisso com a prosa. Legal demais isso

P! dijo...

Muito bom o que você escreve! Achei teu blog pelo "Portal Literal". Posso adicionar aos meus favoritos? =)

Mariza Resplandes dijo...

Me apaixonei por você.

.

Um só beijo.

Cláudia Linck dijo...

bah
eu reli tanto!
foi o que mais gostei.

Carina Kunze dijo...

coisas expontaneas e malucas assim não aocntecem mais comigo...acho que vou dançar mais vezes de calcinha.