sábado, agosto 11, 2007

diários rabiscados

Diários rabiscados viram livros. Na melhor das hipóteses viram livros. Eu rabisco entre um gole de café gelado uma tragada no cigarro quase só o filtro, rabisco, para ti. “Oi, desenhei uma rosa, quer ver?” “Escrevi um poema. É ele é pra ti.” E então cai cinza em cima das folhas eu amasso tudo jogo fora toco tinta verde-rosa-branca-azul. Guardo com carinho para que fique intacta a carta que nunca te dei. E nunca vou dar.

4 comentarios:

Sinfonia de Desilusão dijo...

ahhh que lindo, gustavo!
*-* hahaha eu inspirei alguéeem! isso é quase um milagre xD
gostei, o modo como você escreve me agrada muito!
e num tem pressa para ler o meu não, mas acho que o poste novo é o melhor texto que eu já escrevi...
gostei demais. mas, na pior das hipóteses, diários rabiscados viram blogs, não é mesmo?
beeeijos (vc tem msn?)

Lina dijo...

eu tenho uma caixa cheia assim...coisas q nao mando

Vento. dijo...

eu tenho mil cartas guardadas. acho que todo mundo é um pouco assim né, egoísta. é sim, um modo muito egoísta de esconder as coisas que se pensa. da´a gente vem e escreve em blogs. 'na pior das hipóteses, palavras rabiscadas viram blogs'. é. concordo.

:*

Punkssauro dijo...

Toda aridez das cartas nunca mandadas. Toda secura de uma carta nunca escrita. Todas regadas nas lágrimas de um amanhã que nunca virá. O sal as conserva para sempre, porém. ( Tentando imitar Garcia Márquez - pretensão)

Quanto às fotos no AM, acho que aqui na ilha principal, é o único lugar assim, tropical. Só é possível encontrar outro point assim em Okinawa, muito ao sul.