domingo, abril 22, 2007

Morte Mentolada

Alguma coisa entre: The Smiths, Oscar Wilde, Caio Fernando, Legião Urbana, café gelado e muitos cigarros.
A morte mentolada no cinzeiro de pedra verde musgo que atrai energias positivas, porque sobreviver por entre a noite era atrair o máximo de energias que podia, sugar como uma sanguessuga. Sugar até a última gota, o último gesto, o último âmago, o último gemido. Sugar da vida o grosso-áspero-leitoso.
Na janela o sopro do vento, no sopro do canto da boca, a fumaça assim: calma, em um suspiro reto e cinza.
Na janela a amargura e o choro quente, logo após o riso. Frutas geladas contrastam com o que quente tu me dás.
Se já passou agora metade da madrugada e a manhã fria vem em mais um cigarro e mais um suspiro, vem também a manhã em mais um sopro de vida.
Sugas tu a manhã agora.
Livra-te de culpa.
Morres e atinges assim a vida de verdade. Com cheiro acre e gosto de mentol.

5 comentarios:

Punkssauro dijo...

Smiths e café gelado são um fim de noite sem fim.

Anónimo dijo...

Oi, navegando pelo orkut, achei seu perfil e vim ler seu blog por curiosidade. Você parece ter muita facilidade com as palavras e as transporta para o papel de uma tal forma que quem lê se emociona. Parabéns (:

Ana

Mais um... dijo...

Vc tem fixação po cigarros. O que é isso?

chando dijo...

conheço esse cinzeiro. bonito ele. morre devagar e mentolado amigo.


mas quem usa papel?
que? musa de papel?
papel
digital


tudo verde.

BÁRBARA dijo...

hahahaha seus comentários são tão legais (porém de forma diferente, sabemos) quanto teus textos.

: tuas palavras casam direitinho com suas imagens.

vocrê precisa provar a pizza de salada de frutas bem gelada de onde eu vou, meu anjo; de desmaiar.