lunes, abril 02, 2007

Eu entendo.

"Ai como eu queria tanto agora ter uma alma portuguesa para te aconchegar ao meu seio e te poupar essas futuras dores dilaceradas. Como queria tanto saber poder te avisar: vai pelo caminho da esquerda, boy, que pelo da direita tem lobo mau e solidão medonha."
Dama Da Noite - Caio F. Abreu


Eu entendo, garoto, eu entendo. Entendo que você não tenha mais preocupações do que se divertir e se tornar popular. Do que se divertir divertindo os outros. Do que experimentar de tudo e todos enquanto o tempo te permitir. Mas o tempo é cruel, garoto. Um dia as preocupações vão surgir. Porque o mundo não é feito só de fantasias e diversões. Com o tempo você vai percebendo, garoto, que a diversão pode estar em coisas e pessoas que você nunca sonhou. Eu entendo que você não queira perceber que ter um objetivo e um plano de futuro é importante. Porque até uma certa idade o nosso futuro é destinado. Mas chega uma hora que você é que decide, garoto. E aí vem o peso da responsabilidade. Como um prédio de quinze andares desabando nas suas costas com as pessoas todas a sua volta cobrando o porque do que você faz. Eu entendo que nem tudo o que você faz precise de um porque, e nem tudo o que eu faço tem um porque, até porque quase nada do que eu faço precisa de um porque. Mas não precisa porque eu já descobri o que eu quero fazer, garoto. Posso não ter descoberto o como fazer. Mas isso se descobre ao longo da vida. E eu entendo que você não queira pensar no que fazer e muito menos em como fazer o que fazer. Mas chega uma hora em que você é que decide, garoto, você. Só você. E essa hora dói.
Vem aqui mais perto, garoto. Me deixa aproveitar você. Porque eu não sei o que você vai fazer daqui a pouco e nem eu sei o que vou. Vem aqui mais perto e não fala nada. Me deixa te sentir, garoto. Uma hora você vai perceber que as pessoas não precisam de rótulos. Não precisam de títulos. Não precisam de alianças, garoto, as pessoas não precisam de alianças. Vem aqui mais perto e deita tua cabeça no meu ombro pra sermos as pessoas mais felizes do mundo por um segundo. Tudo bem, eu entendo que pra você o sempre dure pra sempre. Mas não dura, garoto.
Eu não tenho mais a sua idade, mas eu ainda tô viva. Eu tô tão viva que dói, garoto. Dói. Pode parecer que não e eu entendo que não pareça. Mas eu também sei viver. Você entende? Não, você não entende. Mas uma hora você cansa de experimentar as pessoas e ao mesmo tempo esperar que alguém lhe torne a pessoa mais feliz do mundo pra sempre. Eu acho até que tô vivendo mais do que você, sabe. Mais viva do que você. Eu me divirto tanto quanto. E experimento tanto quanto. Mas uma hora você percebe que existem outras coisas. Que sexo é tão importante quanto amor, garoto. Que sexo não é no fim-de-semana e amor durante ela. Que amor não é casar e ter filhinho. Que sexo não é pecado. Não foi feito pra ser feito escondido.
Eu entendo que você é tão moço e não quer se desiludir. Eu entendo que você é tão moço e não quer se envergonhar. Eu entendo que você é tão moço e não quer ficar triste. Eu entendo que você é tão moço e não quer que o mundo fique chato. Eu entendo que você é tão moço e quer que as coisas boas durem pra sempre. Mas não duram, garoto. Eu tô tão viva, garoto. Tão viva que dói. E vai doer pra sempre.

6 comentarios:

Punkssauro dijo...

Nossa. Preciso reler, não hoje, hoje não, garoto.

Mas por causa de Mala Educación, a cortina cá da sala de casa é... LARANJA!

Claro, coisa da Nanci, my foréva e fã incondicional de Almodóvar.

Vento. dijo...

é, ninguém quer que o mundo fique chato. será que é ele que fica? ou somos nós quem ficamos?

saudades.

Rodrigo Ramos - Buteco do Lamento dijo...

O Mundo sempre foi chato, nós é que não aceitamos o tédio...

afaste de mim esse cálice...

Rodrigo dijo...

É
è uma bosta mesmo.

Vento. dijo...

respondendo: é isso http://pearl-jam.letras.terra.com.br/letras/30319/

Anónimo dijo...

Por que nao:)