viernes, marzo 17, 2006

Desejo

Em uma obra desfigura de Miró
Da figura ex-figurativa atrativa
Compelida atraída pela ida
Com o olhar atrativo expelido
Como tudo parado, polido.
Trancado desfeito refeito em duo
Cansado estupefato repleto de atos
Calado olhando, a obra total
Desejo.


Chanteur (Miró)

6 comentarios:

Chando, Lucas dijo...

Eu gosto quando tu escreve poesia.



É poético sabe?

O Gafa dijo...

Pra variar, não entendi! (como de costume!)





Mas o Miró é tri bom!

Windmill dijo...

Não entendi tambem, mas Miró é genial.
Nunca provei chilenos. Acho. Mas morro de rir lendo as críticas profissionais sobre vinhos. Pode uma simples uva produzir sabores como framboesa, torta de mação, créme brulée, confeitos de chocolate e canela, tudo isso num único vinho? Sinceramente, acho que não..

Iuri Bauler dijo...

Tavinho: compositor popular brasileiro pós-moderno.

Iuri Bauler dijo...

eu me perco nessas desconstruções de linguagem, mas a rítmica me agrada. é um negócio mto pós-concretista. (to me sentindo um crítico de arte). =P

sei lá, mas considero mais original o teu lirismo. acho artificial esse tipo de poesia. mas isso é um alinhamento meu.

e tu é bom nisso.

Windmill dijo...

Então corre pro feirante mais próximo que ta na época!
^^